O Paulo levou a Raquel a jantar e…

O jantar foi incrível!

A música, o restaurante, a comida, todo o ambiente que se vivia era como se fosse tirado de um sonho.

E a noite estava perfeita.

Nem frio nem calor.

Apenas uma brisa suave que fazia com que a caminhada até casa dela fosse ainda mais agradável.

A conversa também tinha sido fantástica.

Parecia que já se conheciam há imenso tempo.

Aliás, parecia que se conheciam desde sempre.

Tal era a comunhão de interesses que até pareciam acabar as frases um do outro…

Mas a noite ainda não tinha acabado para o Paulo e para a Raquel.

Sim, toda aquela conversa e preparação levavam o casal para um ponto alto da noite.

Algo que ambos antecipavam e, no fundo, desejavam.

E que os faria ter sonhos cor de rosa.

Afinal de contas, já era a quarta vez que saíam e era a primeira vez que ela tinha permitido que ele a acompanhasse a casa…

E eis que chegaram à sua porta.

E, tal como nos filmes, o Paulo aproximou-se da Raquel para o (muito) antecipado beijo apaixonado.

O beijo com que ele tinha sonhado e pensado toda a noite.

Mas, exactamente, quando ele já estava a aproximar-se o seu cérebro pregou-lhe uma partida.

Começou a dizer-lhe que, se calhar, ela não queria ou que não estava preparada.

E o Paulo começou a ter medo.

Medo de ser rejeitado.

De fazer uma figura triste à frente da Raquel.

E, para que a coisa não começasse a tornar-se embaraçosa, deu-lhe um beijo rápido na face e virou costas.

Quando chegou ao passeio, disse-lhe:

“Eu depois ligo” e começou a andar.

E lá foi o Paulo.

Sozinho e sem beijo.

E a arrepender-se amargamente de não ter avançado para o beijo.

Esta é a história do Paulo e da Raquel.

Mas também é a história de muitos vendedores e compradores.

Estima-se que mais de 50% das reuniões (encontros) de vendas terminem sem que o vendedor (o Paulo) apresente um fecho (o beijo) ao comprador (a Raquel).

Mesmo quando todo o trabalho prévio foi já feito e o comprador (a Raquel) está pronto para avançar.

E depois arrepende-se amargamente pela oportunidade perdida…

Por um motivo.

O vendedor não fez uma pergunta.

Uma pergunta que mudaria todo o desfecho e, provavelmente, o seu mês.

E a pergunta é:

“Vamos avançar?”

Conheces alguém a quem isto já aconteceu?

Um abraço e um excelente dia,

– Marco Costa

www.omeunegocioimobiliario.com

 

PS: Já deves ter percebido que acho importante, aliás, vital, que um agente imobiliário tenha a sua própria newsletter.

Uma newsletter que seja pensada e estruturada para te  trazer mais negócios.

Por isso, depois de escrever o post de hoje não poderia deixar de perguntar-te uma coisa:

Vamos avançar?

Se estiveres pronto, vai a www.aoseuservico.com ou envia-me um e-mail para marco@omeunegocioimobiliario.com.

E deixa de perder tempo e oportunidades…

 

Opt In Image
E-Book Grátis Para Agentes Imobiliários / Corretores de Imóveis
Duplica o Teu Negócio Apenas com Referências

Descobre como alavancar os teus resultados apenas com referências recebidas de antigos e actuais clientes.

Disponível apenas por tempo limitado...